segunda-feira, 27 de julho de 2015

Objectivos de vida


Sempre fui pessoa de ter planos a longo prazo, de saber para onde queria ir, de saber o queria fazer para chegar às minhas metas. Sempre delineei um plano que se manteve inalterado por bastante tempo. Até que fui de Erasmus e estive um ano parada, acabando por me meter numa área que em nada tinha a ver com o meu curso, comecei a trabalhar a sério (não necessariamente num emprego a full time, mas em dois trabalhos que exigem bastante de mim) e agora... Não me imagino a seguir o meu plano.

Pelo menos por ora.

Ainda quero ser o que almejava ser, ainda quero tirar a mesma especialização mas só que não quando acabar o curso tal como estava planeado. É bom fazer planos mas também é bom ter a liberdade para ser flexível e adaptá-lo às circunstâncias de vida que, vejo agora, mudaram bastante. Acho-me tão nova para me comprometer em ajudar alguém. Tenho 23 anos e terei mais um quando for considerada Mestre em Psicologia. Sinceramente, quem é que sabe o quer que seja da vida aos 24 anos?? Okay, não estou a ser justa até para comigo mesma: sei algumas coisinhas, sei do que gosto e do que não gosto mas... Será o suficiente para me enfiar num consultório a ajudar pessoas? Hell no!

Nem sequer é o que me imagino a fazer de todo pois não sou pessoa de estar enfiada num sítio o dia inteiro. Sou uma pessoa demasiado dinâmica e extrovertida para estar uma hora a ouvir o meu paciente a falar. Sinceramente, o que gostava mesmo de fazer era uma viagem de 3-4 meses, ir trabalhar num hostel ou num restaurante ou num bar para ganhar mais uns trocos para os bilhetes de avião do próximo destino que será decidido dois dias antes da data de embarque.

Se calhar, daqui a um ano já mudei de ideias outra vez. E sabem que mais? Espero bem que não.