quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

De hoje

Eu no fundo devia ter nascido com uma pila.
Toda eu sou um homem preso a um corpo de mulher.

I should have borned with a dick.
I'm a man trapped in a woman's body.

sábado, 13 de dezembro de 2014

do 2014

Ainda não vou começar a minha retrospectiva sobre o ano que passou mas queria só dizer que tenho conhecido tantas pessoas e tenho feito tantos amigos que o meu coração está feliz, feliz.

I'm not going to start my retrospective about this year but I just wanna say that I met so many people and I made so many friends that my heart is just so happy!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Dos erros, parte 2


Ainda na continuação deste post, devo dizer que muito dos erros que faço estão naturalmente ligados a defeitos da minha personalidade. Um dos mais óbvios que tenho e que julgo já aqui ter falado sobre isso, é o facto de ser extremamente impulsiva.

O ser impulsiva é um pau de dois bicos. Pode ser uma qualidade, na medida em que está relacionado com espírito aventureiro, ao carpe diem e merdas do género, "bora lá fazer alguma coisa maluca e não quero saber se me vou arrepender mais tarde" (e eventualmente não te arrependes porque essa tua noção de arrependimento estava apenas ligado ao medo de fazeres algo novo e/ou assustador); mas pode também ser um defeito pois simplesmente esqueces-te que as tuas acções tem repercussões.

É algo que tenho que aprender a moderar, esta minha impulsividade. Ainda que o pensares demais também se torna castrador porque retira muito da espontaneidade, a verdade é que às vezes, pensar antes de agir não só é uma coisa esperta de se fazer, como evita arrependimentos desnecessários (e provavelmente outras percas associadas ao acto, sejam elas quais forem). E sim, há arrependimentos desnecessários. No entanto, se aprendeste algo, nem tudo está perdido.